Laudos e pareceres psicológicos. Curso de Extensão. PUC-RJ

Nesta matéria analisam-se fontes bibliográficas e documentais, além de se discutir a prática profissional, avaliando-se as orientações normativas, conceitos e dificuldades na elaboração de documentos por parte do psicólogo no âmbito judicial.

Objetivos

Apresentar a elaboração de laudos e pareceres como atividade de tradução entre saberes e práticas distintos, marcada historicamente e sendo igualmente o resultado do jogo de forças entre demandas judiciais e as respostas a elas.

  • Analisar o percurso histórico que constituiu o laudo e o parecer como possível no sistema judicial;
  • Discutir as dificuldades da elaboração de documentos escritos oriundos de avaliações e estudos psicológicos;
  • Comentar as referências judiciais e profissionais sobre a elaboração de laudos e pareceres;
  • Conhecer diretrizes técnicas e éticas da elaboração de documentos escritos;
  • Exercitar formas de elaboração de laudos e pareceres.

Metodologia

Aulas expositivas e dialogadas; leituras orientadas; trabalhos em grupo; discussão de casos; elaboração de laudos e pareceres.

Ementa

O sistema de justiça. Os atores jurídicos e suas demandas. O laudo e o parecer psicológicos no sistema de justiça e sua história. O Código de Processo Civil e a elaboração de laudos e pareceres: perito e assistente técnico. As Resoluções e as referências oriundas do Conselho Federal de Psicologia. Exigências éticas e técnicas na elaboração de documentos. Dificuldades na elaboração de laudos e pareceres.

O curso será ministrado na PUC-RJ a partir do dia 11/3/17. Informações adicionais podem ser obtidas no sítio eletrônico na Coordenação Central de Extensão.

Anúncios

As diversas faces da violência. PUC-Rio.

Curso de Extensão

Deparamo-nos com o tema violência todos os dias, direta ou indiretamente. Notícias, estatísticas, análises acadêmicas, experiências pessoais demandam que nos posicionemos sobre o que seja violência e quanto ao modo de lidar com ela. No entanto, haveria um elemento comum a unir essas diferentes situações que nos acossam diuturnamente? De que modo as experiências de violência incidem sobre a constituição subjetiva? Existiria uma definição capaz de abarcar esse conjunto de experiências com as quais lidamos todos os dias? O curso de extensão que propomos tem por objetivo partir dessas questões, mostrando seus limites, analisando temas e fragmentos de casos que não apenas se fazem atuais para todos, mas que, em particular, compõem o cotidiano da interface entre psicologia e sistema judicial.

Objetivo:

Apresentar o tema da violência, as dificuldades e as implicações de sua/s definição/ões. Analisar as representações da violência na sociedade, no sistema judicial, seus efeitos na constituição subjetiva e suas expressões nas formas de testemunhos e estudos psicossociais. Avaliar as consequências das demandas de produção de prova, garantia de direitos e de reparação motivadas por situações de violência, em particular quando dirigidas ao saber psi a partir da ordem judicial. Discutir e formular estratégias de ação na interface entre psicologia e justiça e as condições de atuação no sistema judicial.

Programa:

  1. Psicanálise: violência e trauma;
  2. Violência, vulnerabilidade e luto;
  3. Direito, ética e construção da subjetividade;
  4. As dificuldades no atendimento de crianças e adolescentes vítimas de violência: fragmentos de casos;
  5. O testemunho judicial de crianças I: Memória, violência e vitimização;
  6. O testemunho judicial de crianças II: Memória, violência e experiências internacionais;
  7. Desigualdades, Desrespeito e Discriminação;
  8. A violência institucional e a destituição do poder familiar.

O curso será ministrado por professores da Especialização em Psicologia Jurídica e do Direito da PUC-Rio.

Informações adicionais podem ser obtidas aqui.

As diversas faces da violência. PUC-Rio. Curso de Extensão

Deparamo-nos com o tema violência todos os dias, direta ou indiretamente. Notícias, estatísticas, análises acadêmicas, experiências pessoais demandam que nos posicionemos sobre o que seja violência e quanto ao modo de lidar com ela. No entanto, haveria um elemento comum a unir essas diferentes situações que nos acossam diuturnamente? De que modo as experiências de violência incidem sobre a constituição subjetiva? Existiria uma definição capaz de abarcar esse conjunto de experiências com as quais lidamos todos os dias? O curso de extensão que propomos tem por objetivo partir dessas questões, mostrando seus limites, analisando temas e fragmentos de casos que não apenas se fazem atuais para todos, mas que, em particular, compõem o cotidiano da interface entre psicologia e sistema judicial.

Objetivo:

Apresentar o tema da violência, as dificuldades e as implicações de sua/s definição/ões. Analisar as representações da violência na sociedade, no sistema judicial, seus efeitos na constituição subjetiva e suas expressões nas formas de testemunhos e estudos psicossociais. Avaliar as consequências das demandas de produção de prova, garantia de direitos e de reparação motivadas por situações de violência, em particular quando dirigidas ao saber psi a partir da ordem judicial. Discutir e formular estratégias de ação na interface entre psicologia e justiça e as condições de atuação no sistema judicial.

Programa:

  1. Psicanálise: violência e trauma;
  2. Violência, vulnerabilidade e luto;
  3. Direito, ética e construção da subjetividade;
  4. As dificuldades no atendimento de crianças e adolescentes vítimas de violência: fragmentos de casos;
  5. O testemunho judicial de crianças I: Memória, violência e vitimização;
  6. O testemunho judicial de crianças II: Memória, violência e experiências internacionais;
  7. Desigualdades, Desrespeito e Discriminação;
  8. A violência institucional e a destituição do poder familiar.

O curso será ministrado por professores da Especialização em Psicologia Jurídica e do Direito da PUC-Rio.

Informações: http://bit.ly/2cuN82x

Facebook: http://bit.ly/2iwUzLj

Scribd: http://bit.ly/2iwSMpm

 

A Violência Institucional e a Destituição do Poder Familiar. As diversas faces da violência. PUC-Rio. Curso de Extensão. 2016

O curso de extensão ‘As diversas faces da violência’ está dividido em oito aulas, as quais correspondem a oito matérias diferentes.

Abaixo um breve resumo do que a professora Aline Diniz compartilhará na matéria ‘A violência institucional e a destituição do poder familiar’:

Partiremos da separação judicial de bebês filhos de mulheres apontadas como usuárias de drogas, e de outros casos encaminhados a Vara da Infância, da Juventude e do Idoso, para problematizar diferentes práticas de estigmatização da pobreza que podem estar presentes em uma situação de destituição de poder familiar.

Analisaremos a concepção de garantia da convivência familiar e comunitária nesse contexto, a partir de mudanças introduzidas pela aprovação do Marco Legal da Primeira Infância.

Para informações sobre o curso, clique aqui.

As diversas faces da violência. PUC-Rio. Curso de Extensão. 2016

As diversas faces da violência
As diversas faces da violência

Para informações adicionais, clique aqui.