Pesquisa aponta melhores cidades brasileiras para viver após os 60 anos. JN

Mais de 20 milhões de brasileiros já chegaram à terceira idade, de acordo com o IBGE. É quase o dobro de toda a população de Portugal. E cada vez mais a preocupação é garantir qualidade de vida. Uma pesquisa feita em quase 500 municípios mostra quais são as melhores cidades do país para viver depois dos 60 anos.

Matéria completa

Nove em cada dez asilos do RJ não têm plano de atendimento individualizado. CBN

Medida, exigida pelo Estatuto do Idoso, não é cumprida, revela levantamento do Ministério Público. O resultado chamou a atenção da Câmara Técnica de Geriatria do Conselho Federal de Medicina, que avalia lançar uma resolução específica das Instituições de Longa Permanência para Idosos em todo o Brasil.

Leia e ouça a matéria completa.

Iniciativa ‘Adote um avô’ muda rotina em asilos na Espanha. O Globo

Bem que poderia ser por aqui. Para combater a solidão de velhos, um serviço que aproxima quem tem doses de carinho suficientes para dar a quem vive já habituado à solidão em instituições asilares.

A iniciativa Adoteunaabuela começou em 2013. Ao visitar o avô em um lar de idosos e conhecer outros residentes em Madri, na Espanha, Alberto Cabanes decidiu estimular outros jovens a serem os netos que aqueles idosos não têm.

Leia a matéria completa aqui.

Leia também:

Adoptado a los 86 años

Europe’s Generation Gap_The Economist

Since the outbreak of the European debt crisis, Greek retirees have become a scapegoat for the continent’s financial and political woes. International creditors were infuriated by the lavish Greek pension system, which allowed public employees to retire as early as the age of 50, and demanded radical overhauls in exchange for bailout funds. They got what they asked for; today, pensions in Greece are 50 percent lower than in 2010. As a result, about 45 percent of Greek pensioners receive monthly checks below the official poverty threshold.

Leia a matéria completa.

‘Idosos no Brasil são marginalizados por falta de políticas públicas’

Entrevista com Ina Voelker no programa ’50 Mais CBN’, em 06.01.2016:

Idosos no Brasil são marginalizados por falta de políticas públicas

 

Sabor da Vida

Fingir sua morte, o último recurso de um idoso para unir a família no Natal

[…] idosos que passam sozinhos as festas natalinas. Um número que em 2014 chegou a um milhão e meio de pessoas na Espanha, por exemplo, e que afeta, segundo dados da Sociedade Espanhola de Médicos de Residências, um em cada cinco idosos de mais de 65 anos de idade. Ficar sem companhia nessas circunstâncias pode contribuir para piorar seu estado de ânimo ou causar uma depressão, de modo que é comum surgirem nessa data campanhas que tentam reduzir a sensação de abandono. Outros coletivos, como a Federação de Amigos dos Idosos trabalham, todo o ano, para combater a solidão não desejada através de seus programas de voluntários.[Leia mais e veja dois vídeos em Estadão]