Victim Impact Statements: o que é isso?

Qual o lugar da vítima e de sua palavra no sistema judicial?

Victim impact statements são informações escritas ou orais elaboradas por vítimas de crimes, com suas próprias palavras, descrevendo como a situação de violência as afetou.

Os 50 estados dos EUA permitem o uso dos Victim impact statements em alguma fase do processo judicial. Canadá e Austrália são exemplos de países que igualmente se valem desse tipo de dispositivo. Quanto ao Canadá, os Victim impact statements estão previstos também para as situações que envolvam crianças e adolescentes.

O objetivo dos Victim impact statements é o de permitir às vítimas, durante os procedimentos de avaliação judicial do caso, apresentar à máquina judicial o impacto subjetivo sofrido pela situação de violência experimentada. O juiz pode usar as informações dos Victim impact statements a fim de definir as penas do acusados.

Leia a matéria completa em Cartas do Litoral

Anúncios

Manifesto

Blanchett, 13 Roles, One Genius Acting Showcase
Cate Blanchett in ‘Manifesto,’ a Cerebral Exercise

Brasil: vítimas de violência doméstica e a dificuldade de realização da justiça. HRW

As autoridades de Roraima estão falhando em investigar ou processar casos de violência doméstica, deixando as mulheres em maior risco de abuso, informou a Human Rights Watch. Os sérios problemas em Roraima, o estado com a maior taxa de homicídios de mulheres no Brasil, refletem falhas a nível nacional que dificultam o acesso das vítimas de violência doméstica à justiça e proteção

Brazil: Domestic Violence Victims Denied Justice

Extensão: Psicologia e Justiça nas Varas de Família. PUC-Rio. 2018

O curso tem por base a prática de psicólogos no poder judiciário e cobre, dentre outros temas: conflitos e litígios em varas de família; parentalidade e conjugalidade; os diferentes tipos de guarda; a criança e a separação do casal parental.

Saiba mais: CCE/PUC-Rio

A violência no Brasil explicada por Sergio Adorno | Entrevista Completa. Nexo

Especialização em Psicologia Jurídica. PUC-Rio. 2018

A Psicologia Jurídica é um ramo da psicologia que vem sendo construído no Brasil há muito pouco tempo. Artigos científicos, teses e dissertações começam a ser produzidos, mas ainda há uma deficiência na formação acadêmica para dar conta dos novos campos de atuação que se desenvolvem na interface entre Psicologia e Direito. Cresce a demanda de participação do psicólogo em instituições de acolhimento, processos de adoção e reinserção familiar, perícia em Varas de Família, mediações de conflitos e no combate à violência doméstica. Faz-se necessário, portanto, uma constante atualização dos profissionais envolvidos na área, bem como a ampliação do espaço para a elaboração de pesquisas, de modo a contribuir na discussão dos limites e possibilidades do trabalho do psicólogo junto às instituições judiciárias.

Saiba mais: CCE/PUC-Rio

II Jornada do Curso de Especialização em Psicologia Jurídica (PUC-Rio)

Informações adicionais: Facebook

Inscrições: CCE/PUC-Rio