Peru cria cadastro de esterilizações forçadas feitas no Governo Fujimori

O Governo peruano aprovou na sexta-feira, 6 de novembro, a criação de um cadastro nacional de vítimas da esterilização forçada, uma política adotada no último mandato do presidente Alberto Fujimori(1995-2000). A Defensoria do Povo registrou mais de 2.000 denúncias e 44 mortes por causa da prática chamada oficialmente de “anticoncepção cirúrgica voluntária”.[Leia mais – El País]

Anúncios

Zika, direito reprodutivo e desigualdade social

Três matérias que buscam salientar os temas da desigualdade social e do direito reprodutivo frente às discussões sobre o vírus Zika e seus efeitos:

Combater o zika vírus tentando apenas erradicar o mosquito não funcionará” – Alicia Ely Yamin

The Zika Virus and Brazilian Women’s Right to Choose – Debora Diniz

O vírus zika, o direito ao aborto e a cidadania das mulheres brasileiras – Flávia Biroli

Leita também:

Sobre aborto, deficiência e limites – Eliane Brum

A microcefalia não é uma só – Thomaz Rafael Gollp

[atualizado em 15.02.16, 20h11]

 

Os dilemas da doação de esperma

“Eu gostaria de saber quem ele é”, diz Nicole, de 30 anos. A jovem de Düren, no oeste da Alemanha, é muito próxima da mãe, mas não sabe nada sobre o pai, nem o nome. Na verdade, seus pais também não se conhecem, nunca se viram ou tiveram contato um com o outro. Nicole é uma das cerca de 100 mil crianças na Alemanha concebidas por meio da doação de esperma. [Continua – DW]

Clandestinas

A cada dois dias, uma brasileira (pobre) morre por aborto inseguro, um problema de saúde pública ligado à criminalização da interrupção da gravidez e à violação dos direitos da mulher [Pública]

Disputa judicial de embriões: o caso Sofia Vergara

Nick Loeb, ex-noivo de Sofia Vergara, escreveu em abril no New York Times um pequeno artigo no qual explicava os motivos pelos quais optou por pleitear o direito aos embriões congelados fruto do seu relacionamento anterior com a atriz.

Como ele mesmo assinala, a disputa dessa custódia levanta importantes questões sobre a vida, religião e parentesco.

Ele nos esclarece ainda:

“My lawyers have identified 10 other cases in the United States in which a parent tried to have a fertilized, frozen embryo taken to term against the wishes of an opposing parent. In eight of those cases, the parent seeking custody lost. In the other two cases, one in Pennsylvania and one in Illinois, a woman was awarded custody of fertilized embryos over the man’s objections”.

O artigo completo está disponível aqui:

Sofía Vergara’s Ex-Fiancé: Our Frozen Embryos Have a Right to Live

O Globo publicou matéria comentando o artigo de Loeb e agregando comentários de especialistas sobre essa discussão no Brasil:

Falta de lei em países cria lacunas sobre disputas por embriões congelados

Leia também:

Mulher entra na Justiça pela posse dos óvulos da filha morta para dar à luz ao seu neto

Um neném, duas mães e muitos documentos

Gravidez não planejada: expressão da desigualdade econômica

Matéria do site The Atlantic mostra que mulheres de estratos socioeconômicos mais favorecidos têm acesso facilitado a formas de controle da natalidade. Além disso, elas teriam mais chances de realizar aborto em caso de gravidez indesejada.

O foco da matéria é o argumento de que o impacto financeiro da gravidez indesejada, e de gravidezes subsequentes, pode ser significativamente alto, particularmente no que tange a mulheres que se situem em estratos desfavorecidos economicamente.