Peru cria cadastro de esterilizações forçadas feitas no Governo Fujimori

O Governo peruano aprovou na sexta-feira, 6 de novembro, a criação de um cadastro nacional de vítimas da esterilização forçada, uma política adotada no último mandato do presidente Alberto Fujimori(1995-2000). A Defensoria do Povo registrou mais de 2.000 denúncias e 44 mortes por causa da prática chamada oficialmente de “anticoncepção cirúrgica voluntária”.[Leia mais – El País]

Anúncios

Zika, direito reprodutivo e desigualdade social

Três matérias que buscam salientar os temas da desigualdade social e do direito reprodutivo frente às discussões sobre o vírus Zika e seus efeitos:

Combater o zika vírus tentando apenas erradicar o mosquito não funcionará” – Alicia Ely Yamin

The Zika Virus and Brazilian Women’s Right to Choose – Debora Diniz

O vírus zika, o direito ao aborto e a cidadania das mulheres brasileiras – Flávia Biroli

Leita também:

Sobre aborto, deficiência e limites – Eliane Brum

A microcefalia não é uma só – Thomaz Rafael Gollp

[atualizado em 15.02.16, 20h11]

 

Clandestinas

A cada dois dias, uma brasileira (pobre) morre por aborto inseguro, um problema de saúde pública ligado à criminalização da interrupção da gravidez e à violação dos direitos da mulher [Pública]

Dor em dobro

Cerca de 7% dos casos de estupro resultam em gravidez; pela legislação brasileira a vítima dessa violência tem direito a abortar mas 67,4% das mulheres que passaram por esse sofrimento não tiveram acesso ao serviço de aborto legal na rede pública de saúde [Pública]

Leia também:

Chefe da ONU defende um planeta igualitário entre homens e mulheres até 2030

Gravidez não planejada: expressão da desigualdade econômica

Matéria do site The Atlantic mostra que mulheres de estratos socioeconômicos mais favorecidos têm acesso facilitado a formas de controle da natalidade. Além disso, elas teriam mais chances de realizar aborto em caso de gravidez indesejada.

O foco da matéria é o argumento de que o impacto financeiro da gravidez indesejada, e de gravidezes subsequentes, pode ser significativamente alto, particularmente no que tange a mulheres que se situem em estratos desfavorecidos economicamente.