Brasil: vítimas de violência doméstica e a dificuldade de realização da justiça. HRW

As autoridades de Roraima estão falhando em investigar ou processar casos de violência doméstica, deixando as mulheres em maior risco de abuso, informou a Human Rights Watch. Os sérios problemas em Roraima, o estado com a maior taxa de homicídios de mulheres no Brasil, refletem falhas a nível nacional que dificultam o acesso das vítimas de violência doméstica à justiça e proteção

Brazil: Domestic Violence Victims Denied Justice
Anúncios

A violência no Brasil explicada por Sergio Adorno | Entrevista Completa. Nexo

Especialização em Psicologia Jurídica. PUC-Rio. 2018

A Psicologia Jurídica é um ramo da psicologia que vem sendo construído no Brasil há muito pouco tempo. Artigos científicos, teses e dissertações começam a ser produzidos, mas ainda há uma deficiência na formação acadêmica para dar conta dos novos campos de atuação que se desenvolvem na interface entre Psicologia e Direito. Cresce a demanda de participação do psicólogo em instituições de acolhimento, processos de adoção e reinserção familiar, perícia em Varas de Família, mediações de conflitos e no combate à violência doméstica. Faz-se necessário, portanto, uma constante atualização dos profissionais envolvidos na área, bem como a ampliação do espaço para a elaboração de pesquisas, de modo a contribuir na discussão dos limites e possibilidades do trabalho do psicólogo junto às instituições judiciárias.

Saiba mais: CCE/PUC-Rio

II Jornada do Curso de Especialização em Psicologia Jurídica (PUC-Rio)

Informações adicionais: Facebook

Inscrições: CCE/PUC-Rio

 

TITICUT FOLLIES

The Screen: 'Titicut Follies' Observes Life in a Modern Bedlam:Documentary Is Cool Calm and Harrowing 'The Penthouse' Offers a Twisted View

Unicef: A violência na vida de crianças e adolescentes (Relatório)

O mais recente relatório do Unicef sobre violência contra crianças e adolescentes ressalta o lugar assustador ocupado pelo Brasil e outros países da América Latina (Honduras, Venezuela, Colômbia, El Salvador). Estamos entre os piores lugares do mundo no que se refere ao assassinato dos que se situam na faixa 10 – 19 anos, em particular os de sexo masculino.

Este gráfico mostra bem a situação:

http://data.unicef.org/end-violence-dataviz/

 

O relatório aponta diversos dados alarmantes, dentre os quais:

  • 176 milhões de crianças abaixo de cinco anos de idade ( 1 em 4) vivem com mães que estão em situação de violência doméstica ou familiar;
  • A cada sete minutos um adolescente é morto em decorrência de um ato de violência;
  • Com base em levantamento realizado em 30 países, apenas um por cento de adolescentes do sexo feminino que passou pela experiência de sexo forçado encontra ajuda profissional.

O relatório completo está disponível aqui.

O comunicado à imprensa contém um resumo do relatório.


“O Brasil é, acima de tudo, uma forma de violência. Nunca entenderemos o Brasil se não compreendermos o tipo de violência que funda seu Estado. Pois entender como o Estado brasileiro funciona é entender como ele administra o desaparecimento e o direito de matar. Esta é sua verdadeira forma de governo, uma atualização do secular poder soberano e seu direito de vida e morte”. Vladimir Safatle, ‘Governar é fazer desaparecer’, Cult, n.225, julho/2017, p. 62.

II Jornada do Curso de Especialização em Psicologia Jurídica da PUC-Rio

II Jornada Curso Psijur PUCrio

Informações: http://bit.ly/2yK8Ewp 

Inscrições: http://bit.ly/2yLaNYP