O filme ‘Grandir’ e o acolhimento de crianças na Casa de los Niños

Este documentário apresenta La Casa de los Niños, estabelecimento localizado em Cotacachi, a 100 km ao norte do Quito, Equador. Ali são acolhidas crianças entre  0 e 4 anos em situação de risco social. As famílias das crianças acolhidas também são alvo dos trabalhos realizados. O projeto está ligado à fundação ‘Amigos de la vida’.

Um dos aspectos que chama a atenção no documentário são os resultados obtidos a partir do reconhecimento da autonomia das crianças acolhidas. Todo o trabalho desenvolvido tem a autonomia e a responsabilidade como base. O acompanhamento das crianças e a criação de estratégias que permitam identificar seus interesses e manifestações diversas também são aspectos do trabalho desenvolvido que se destacam.

Existe uma premissa apresentada no documentário: La Casa de los Niños não seria uma obra de caridade nem uma metodologia. Os atores envolvidos no projeto a apresentam como um modo de viver no qual a noção de respeito teria destaque e seria, junto com os dois pontos destacados acima, primordial.

Outro aspecto destacado no filme é o modo como as referências às rotinas da vida da criança são importantes. Essas rotinas permitiriam a construção de algo como uma segurança emocional, permitindo o desenvolvimento daqueles que estão acolhidos. Como destacado nos esclarecimentos acerca do projeto:

“Cada niño está al tanto de lo que pasa con su persona y con lo que le rodea, y de lo que va a venir. Nada pasa en “la Casa de los Niños” sin que los niños lo sepan por adelantado, con el fin de que tengan la tranquilidad y el tiempo necesario para acomodarse emocionalmente frente a nuevas circunstancias. Así, al tomarlos en cuenta, estamos permitiendo también que niños y niñas incorporen el sentimiento de ser aceptados y queridos”.”

A inclusão da família nos trabalhos é outra coordenada fundamental do trabalho realizado. Tão logo seja possível, há a reintegração familiar da criança. Os pais e parentes, em princípio, visitam as crianças acolhidas e são incentivados a fazê-lo. Não existiria nenhum tipo de avaliação da família que não levasse em conta suas estratégias próprias de subsistência e de relacionamento entre os seus integrantes. Após a reintegração familiar o contato com a família continua, sob a forma de acompanhamento, com visitas periódicas, mesmo que não haja determinação judicial nesse sentido. Em casos de dificuldades econômicas, a família é apoiada de diferentes maneiras. A adoção é um último recurso a ser implementado diante do fracasso de todas as iniciativas realizadas.

La Casa de Los Niños

Para uma outra experiência institucional relativa ao acolhimento de crianças, mas marcadas por problemas disciplinares, veja:

Hold Me Tight, Let Me Go

*Agradeço à professora Sônia Altoé a indicação do documentário.

 

Anúncios

Autor: jccoimbra

a reader, above all

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s