Força de Lei: fragmento

Não obedecemos as leis porque elas são justas mas porque elas têm autoridade. Elas têm autoridade porque lhes damos crédito. Este crédito repousaria, segundo Pascal, Montaigne […], no fundamento místico da autoridade…em ficções legítimas sobre as quais nosso direito funda a verdade de sua justiça. Este momento fundador, de inaugurar o direito, aplicar a lei, consiste num golpe de força, numa violência performativa e interpretativa que nela mesma não é justa nem injusta (p. 21)”.

Derrida, J. (2007). Força de Lei. São Paulo: Martins Fontes.

 

Anúncios

Autor: jccoimbra

a reader, above all

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s