O STJ e o abandono afetivo

Em abril deste ano o ministro Luis Felipe Salomão escreveu um breve artigo para O Globo no qual sumarizava as posições divergentes do STJ sobre o abandono afetivo até aquele momento e apontava para a oportunidade que se avizinhava de se uniformizar o entendimento do tema.

O artigo inicial do ministro, republicado no Conjur pode ser lido aqui: http://bit.ly/1qW7YEV

Um resumo da posição do STJ, no qual se evidencia que os ministros da Segunda Seção mantiveram a decisão que condenou um pai a pagar indenização por abandono afetivo e material à filha, está disponível neste link: http://bit.ly/1qW83Zk

Originalmente este post foi publicado no Grupo IPJ, em abril/2014.

Anúncios

Autor: jccoimbra

a reader, above all

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s