Curso: Questões para uma articulação entre Psicanálise e Direito

Secretaria – ELP-RJ secretaria@escolalacaniana.com.brTels: (21) 2294-9336/ 2239-7199 Cel: 8023-5574 Curso: Questões para uma articulação entre Psicanálise e Direito Expositor: Agostinho Ramalho Marques Neto Carga horária: 6 horas Datas: 16, 1…

Anúncios

Secretaria – ELP-RJ

secretaria@escolalacaniana.com.br
Tels: (21) 2294-9336/ 2239-7199
Cel: 8023-5574

 

 

 

C50

 

C51

 

Curso: Questões para uma articulação entre Psicanálise e Direito

 

Expositor: Agostinho Ramalho Marques Neto

Carga horária: 6 horas

Datas: 16, 17 e 22 de novembro de 2010

Horário: 20:00 h. às 22:00 h.

Local: Av. Ataulfo de Paiva, 255, Auditório

Leblon – Rio de Janeiro-RJ

Informações: (21) 2294-9336/ 2239-7199/ secretaria@escolalacaniana.com.br

 

Descrição do curso:

        O curso tem por objetivo pôr em discussão as condições de possibilidade da articulação entre a Psicanálise e o Direito. Essa articulação envolve necessariamente a noção de interdisciplinaridade. Em face disso, tratar-se-á inicialmente da questão da interdisciplinaridade, com ênfase a certos cuidados metodológicos e epistemológicos implicados na sua prática e à posição do sujeito do conhecimento na condução de um trabalho de natureza interdisciplinar. Certas considerações sobre a estrutura do conhecimento científico bem como uma breve crítica do assim chamado “ideal da ciência” e do cientificismo serão apresentadas com vista a situar adequadamente a questão da interdisciplinaridade.

Após essas considerações preliminares, abordar-se-á o estatuto da Psicanálise, no eixo da indissociabilidade entre a elaboração teórica e a experiência clínica. Discutir-se-á a especificidade e a autonomia da Psicanálise em relação a outros campos teóricos e práticas terapêuticas, enquanto disciplina que se constitui a partir da falta radical do objeto da pulsão e do objeto do desejo, e da falta também radical de um significante primordial que pudesse dar consistência à ordem da linguagem – o que implica necessariamente na produção de verdades parciais e não-todas. A questão central, nesta passagem, será: como tornar possível a articulação da Psicanálise com outros campos do saber, respeitando-se a autonomia das disciplinas envolvidas e evitando-se o perigo de reducionismos e transposições teóricas inadequadas? Em outras palavras, como articular Psicanálise em intensão e Psicanálise em extensão? O sujeito da Psicanálise, enquanto sujeito do desejo inconsciente, sujeito cindido que se presentifica no intervalo entre significantes, também terá sua importância enfatizada, considerando-se que não pode haver Psicanálise sem sujeito. Será possível alguma interlocução entre esse sujeito e o sujeito do conhecimento, ou seja, o sujeito teórico, epistemológico? Haverá algum patamar de “identidade” entre esses sujeitos? Em que medida e até que ponto um exclui (recalca, foraclui) o outro? Também se discutirá o estatuto da Psicanálise enquanto “ciência do singular”, a articulação entre desejo, verdade e ética no campo psicanalítico e a crucial distinção entre a Lei (da castração) e a lei (jurídica).

Como um caso possível de trabalho interdisciplinar no terreno da Psicanálise em extensão, serão postas em discussão as condições de possibilidade de uma interlocução entre Psicanálise e Direito. Considerando-se que as principais questões concernentes ao campo da Psicanálise já terão sido apresentadas, tomar-se-á como tema central desta parte do curso o estatuto do Direito, a partir do que serão examinadas algumas condições de possibilidade de sua interlocução com o campo da Psicanálise. Certas questões-chave conduzirão esse exame: A) Não há nenhum direito em si: o estatuto do Direito não é independente das leituras que dele se façam. O Direito como “interdisciplina”, como foco de convergência interdisciplinar. B) A interpretação cria, mais do que descobre, o “verdadeiro” sentido da lei. C) A verdade no campo do direito é de caráter não somente teórico, epistemológico e processual, mas também ético e político. D) Como questões oriundas do campo da Psicanálise podem afetar o campo do Direito e vice-versa? E) Como tecer articulações a partir de significantes que comparecem em ambos os campos, como, entre outros, os de sujeito, objeto, verdade e gozo? F) Como articular sujeito do desejo e sujeito jurídico?

 

ENCERRAMENTO

O curso será concluído com a leitura, pela psicanalista Elisabeth Bittencourt, do texto de sua autoria intitulado: Sempre foi assim…,seguido de debate sobre a função estruturante da interdição do incesto.

Vagas Limitadas!

 

Preço: R$ 300,00 para profissionais/ R$ 150,00 para estudantes

Parcelamento em até 2x com cheques pré-datados

1ª parcela até 15/10 e 2ª parcela até 12/11

Autor: jccoimbra

a reader, above all

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s